Arquivo da categoria: Barreiro (onshore)

A concessão do Barreiro, onde foi encontrada melhor amostra de Lith oil em Portugal foi entregue á Oracle Energy Corporation em 2013. A concessão cobre uma área aproximada de 855 Km2, contabilizando 12 blocos, quase toda a peninsula de Setubal mas com mais interesse na área Barreiro-Seixal. O contrato é para pesquisa de gás natural e petróleo não convencional. A concessão é 95% em terra, e atinge o Pré Sal. Até 2015 a empresa tinha dos seus planos, realizar estudos de prospeção geofísica e estudos Sísmicos 2D.
Em 2011 a Oracle tinha aceitado um acordo com a Mohave Oil and Gas para conselhos na obtenção de concessões em Portugal, e assim ganhou os direitos à concessão do Barreiro.
Num relatório (NI 43-101) relacionado com a concessão foi aceite pela bolsa de valores canadiana TSX-V. O relatório realizado pela Chapman Petroleum Engineering, apresentou 2 ou 3 áreas com potencialidade de geração de gás ou petróleo. A melhor estimativa encontra-se na formação de Silves. Em algumas áreas faltam mais estudos.
O reservatório de Silves tem semelhanças geológicas com campos de produção como o de Hassi R,Mel na Argélia, de onde vêm quase metade do gás consumido em Portugal, e com o campo Sarir o maior da Líbia, como também dos campos do Mar do Norte. Existe também uma analogia com o campo de Ayoluengo na bacia Basca- Cantábria do norte de Espanha.

Já foram perfurados 6 furos na peninsula de Setubal. 1 na área da Baixa da Banheira e outro na área de Santo António da Charneca. Do outro lado do braço de àgua mais 1 na área de Arrentela e outro na área de Paio Pires. Depois outros 2, um na área da Moita e outro na área de Pinhal Novo.

“ A propriedade do barreiro oferece um acordo de exploração inicial para a empresa, que se espera contribuir para o crescimento da Oracle Energy”. Presidente da Oracle: Nasim Tyab

Sessão de Esclarecimento dia 20 de Maio:

Movimento Anti-Extração Gás de Xisto, Barreiro

A controversa técnica de exploração de gás de xisto através de “fractura hidráulica”, ou “fracking”, está em vias de avançar no nosso país. Apesar de a zona aparentemene mais promissora ser a formação da Brenha, que abrange os Concelhos do Bombarral, Cadaval e Alenquer, a verdade é que as concessões exploratórias incluem também o Litoral Alentejano, e uma concessão com o nome “Barreiro”, que abrange não só o nosso concelho como outros pontos da Península de Setúbal, e possivelmente até a serra de Monsanto, em Lisboa.

Esta concessão encontra-se neste momento entregue a uma empresa canadiana chamada “Oracle”, desconhecendo-se para já os resultados de eventuais pesquisas efectuadas.

Porque todos os dados que conhecemos apontam para que esta técnica seja de elevado risco ambiental, essencialmente ao nível da contaminação dos lençóis freáticos, e também porque acreditamos que o caminho a seguir na via da sustentabilidade ambiental e da independência energética…

View original post mais 107 palavras

Anúncios

Convocatória para Reunião

Se Vives perto não faltes a mais uma iniciativa deste movimento…

Movimento Anti-Extração Gás de Xisto, Barreiro

Convocatória para Reunião
do Movimento Cívico Anti-Extracção de Gás de Xisto, Barreiro

Quinta Feira; dia 3 de Abril, 21h Bar dos Penicheiros.

Movimento Anti Gás de Xisto no Barreiro convoca todos os cidadãos a reunir em torno da questão: prospecção e extracção de Gás de Xisto no Barreiro. Motivados pelo carácter nocivo desta prática e exigindo informação quanto aos parâmetros da prospecção (que a empresa canadiana, encarregue de a levar a cabo, Oracle não disponibiliza), queremos esclarecer/informando-nos acerca de tudo a ver com a prática que, na melhor das hipóteses, contaminará os solos, sendo esta prática mais conhecida por contaminar aquíferos (por onde a perfuração passa obrigatoriamente). Assim conscientes do privilégio que é viver sobre o maior aquífero da Europa, prevenir qualquer exploração que atente contra a salubridade do mesmo. Reunir cidadãos com este mote, não é só uma questão de bom senso mas, também, um dever inalienável.

http://www.movimentoantigasdexistobarreiro.wordpress.com

View original post

Comunicado – Assembleia Municipal

Grupos populares como o do Barreiro são exemplo…

Movimento Anti-Extração Gás de Xisto, Barreiro

MOVIMENTO ANTI-EXTRACÇÃO GÁS DE XISTO, BARREIRO

COMUNICADO

Na sequência do anúncio de que o governo concedeu a exploração de gás e petróleo na Margem Sul do Tejo (até 2021) à empresa canadiana Oracle Energy Corporation, tendo sido o Barreiro indicado como um dos locais para o início da prospecção. Dada a controvérsia que envolve a técnica de extracção do gás de xisto (“fractura hidráulica” ou “fracking”) pelo alto risco de contaminação química dos aquíferos e solos e o risco de afectação da estrutura geológica; estivemos presentes na sessão da Assembleia Municipal do Barreiro realizada no passado dia 28 de Fevereiro, onde questionámos o executivo sobre as informações que dispõe e o que pensa sobre este processo.

O Sr. Presidente da C.M.B. afirmou desconhecer a técnica da fractura hidráulica/fracking e que a informação que recebeu do Ministério da Economia se resumiu à assinatura do contrato de concessão.

Face à perigosidade que…

View original post mais 60 palavras

Porto Energy ( Mohave Oil nad Gas Corp), Concessão do Barreiro e Oracle energy Corp.

Porto Energy ( Mohave Oil and Gas Corp), Concessão do Barreiro e Oracle energy Corp.

A corporação que dá a cara no Barreiro é a Oracle, mas na verdade esta corporação não estaria a apostar na prospecção de gás e petróleo na península de Setúbal, se não fosse a Porto Energy a interceder por ela junto do governo português, a partilhar estudos, informação, técnica e mercado.E principalmente ter recomeçado as prospecções em 2007.

Ambas são corporações em ascensão e ambas querem reinar no Petróleo e Gás europeu, e importantes concessões em África. O petróleo e gás que procuram é semelhante. Outro laço de notar é a ligação à industria petrolífera de Alberta e British Columbia no Canadá. Mais uma vez se reforça a ideia de a técnica de fractura hidráulica ser necessária, mais cedo ou mais tarde, para manter o seu negócio.

 A Mohave aposta tudo na zona oeste de Portugal ( Torres Vedras, Alcobaça, Peniche, Zambujal,etc), mas colabora em troca de % de participação em várias zonas do país.

 A Porto Energy é um empresa internacional de gás e petróleo empenhada na exploração de crude oil e gás natural em Portugal. A Porto é também a Mohave Oil and Gas Corporation ( uma corporação texana com escritórios em Portugal). A empresa detêm 100% de interesse em 7 concessões, na Bacia lusitânia, em Portugal. A empresa já identificou fontes petróleo e gás convencional e não convencional.

VISION AND STRATEGY”

A Porto quer perfurar em Pré sal e avaliar as Lias de petróleo leve no on shore de Portugal. Vai procurando coligações para correr mais riscos e poder ter mais gastos. A empresa utiliza técnicas modernas como informação 3 D seismic, como perfuração horizontal e Underbalance. Estão focados em oportunidades de curto prazo em ambas as extrações, convencional e não convencional para valorizar os  accionistas ( sendo um deles, José Berardo).

A Porto Energy é a única corporação que já extraiu gás do sub solo, largando uma chama de 5 metros, em Aljubarrota e quer o mesmo resultado na concessão do Barreiro. Uma maneira de evitar a extracção de gás na península de Setúbal  e na Costa Vicentina, é parar a Mohave em Alcobaça e noutras áreas de Portugal.

Oracle Energy Corp.

A Oracle Energy Corp. que opera na concessão do Barreiro, á qual chama  “ Property”, que foi garantida em Fevereiro de 2013, cobre uma área de 211, 000 acres ( 855 km2), situadaOracle-Website-Portugal-signing-rev-Des-art-2013-02-12-3 no sul  Bacia Lusitânia.

O período de exploração estende-se até 2021, e será para estudos, desde estudos Geológicos , até airborne gravity, passando pelos estudos sísmicos, onde irão gastar mais de 300.000 euros.

Também reforçou o acordo de 2011, entre a Oracle e a Mohave Oil and Gas Corp. A Mohave vem ajudar na obtenção das concessões junto do governo português. Em troca de um máximo de interesse de 25%, a Mohave ganha o direito de participação  na Concessão do Barreiro.

No relatório NI 43-101 Technical Report, aceite pela TSX-V, da Chapman Engineering Ltd., são apresentadas 2 das 3 areas de gás e petróleo esperadas na “property”; Triassic Pre Sa; Lower Jurrasic não convencional. O terceiro não aparece no relatório devido á pouca informação recolhida.

O relatório apresenta como melhor estimativa a formação de Silves, a melhor fonte será na camada Lias, dada que estamos no  inicio dos estudos e seriam necessárias grandes infraestruturas para explorar totalmente estas fontes consideráveis.

O reservatório de Silves, é semelhante a áreas de produção como a de Gás em Hassi R, Mel Algéria e de Sair, o maior campo petrolífero na Libia, como também de muitos campos de petróleo Do Mar do Norte. Mais perto que estes, será o campo Lias de Ayoluendo na Bacia Basque-Cantabrian no Norte de Espanha.

O Chairman da Oracle, Nasim Tyab relembrou que “ A propriedade” do Barreiro oferece uma forte âncora para a corporação e espera-se que contribua para o crescimento da Oracle.

O Oracle é uma corporação canadiana de gás e petróleo com concessões na Europa e África. A corporação têm uma equipa com 150 anos de experiência combinada em exploração de gás e petróleo, na economia e finanças, e em relações governamentais.

Autarquia anuncia prospeção de gás e petróleo no Barreiro

Movimento Anti-Extração Gás de Xisto, Barreiro

Numa notícia de 19 de Fevereiro de 2013, o executivo, pela voz do presidente Carlos Humberto, assume o início da prospecção. Até hoje não se conhecem resultados dessa prospecção.

<<O presidente da Câmara do Barreiro, Carlos Humberto (CDU), disse à agência Lusa que a empresa canadiana Oracle Energy Corporation vai realizar uma prospeção de gás e petróleo no concelho, mas serão necessários anos de estudos até haver resultados.

“Fomos contactados pelo secretário de Estado da Energia que nos informou que o Governo ia assinar uma protocolo com a empresa canadiana para a prospeção de gás e petróleo em vários locais da Península de Setúbal, entre eles o Barreiro”, disse Carlos Humberto à agência Lusa.Carlos Humberto referiu que o concelho vai ser o ponto de partida desta prospeção na margem sul, depois do acordo entre o Governo e a Oracle Energy Corporation no valor 15 milhões de euros, válido por oito…

View original post mais 3 palavras

Petróleo, Península de Setúbal e libertários.

O movimento libertário promoveu, no Sábado, dia 22, um debate sobre a fractura hidráulica.

CartazFractura1O Centro de Cultura Libertaria, com Sede em Cacilhas, Almada foi o organizador. A sua intenção foi, e é, informar os habitantes da península de Setúbal para os planos das corporações de petróleo nesta área de Portugal. Trocar informações com outros grupos, ou indivíduos que dizem não á instalação de poços de extracção de gás e petróleo em Portugal. Como procurar informação, informarmo-nos melhor, como levar a informação que se vai recolhendo á população em geral e principalmente quais as formas que se pode criar para agir foi o mote do debate.

Tudo começou ás 16 com a apresentação do documentário Gasland, que mais uma vez deixou estupefactos e preocupados aqueles que ainda não sabiam o gaslandque passa nos EUA devido à técnica de extração Fractura hidráulica ( fracking), e que se pode repetir no pequeno Portugal.

Depois iniciou-se o debate entre os presentes.  Entre os presentes estavam, O blog gasnaturalnao.wordpress, o recente grupo criado no Barreiro depois do debate que lá se organizou, www.movimentoantigasdexistobarreiro.wordpress.com, habitantes locais e libertários. O debate seguiu pelo jantar dentro, não parou no café e continuou.

Ainda existem algumas duvidas do que se passa no Barreiro devido ao secretismo dos relatórios e de pouca informação revelada pelas corporações, câmaras e estado. Como aconteceu no Barreiro, um grupo vai ser criado em Cacilhas, Almada para procurar e divulgar informação sobre a extração de gás e petróleo na península de Setúbal. O grupo do Barreiro está a preparar um comunicado para entregar na assembleia municipal, para exigir informação sobre o processo de exploração de petróleo no Barreiro. Pode-se ler no comunicado “ Há rumores que a exploração começou no Barreiro, região com um importante lençol freático, mas igualmente zona de enorme e perigosa instabilidade sísmica. Urge consciencializar a população dos perigos associados a esta prática e sobretudo gerar um forte movimento cidadão empenhado da defesa da vida e do património ambiental. Os primeiros passos foram já dados nesse sentido por um grupo de activistas; é fundamental que essa voz se multiplique e fortaleça.”

Sairam ideias para acções. Podemos começar pela ideia de se criar uma apresentação para ir ás escolas, ações de rua, participação em encontros ambientalistas. Também se quer encontrar biólogos, geólogos, técnicos industriais, ex trabalhadores em empresas petrolíferas, profissionais da saúde e grupos ambientalistas, dos direitos humanos e direito dos animais e cidadãos das localidades onde se faz planos para explorar gás ou petróleo que se queiram unir, que tenham criado, ou que vão criar  um grupo anti extração de petróleo em Portugal e no mundo. E muito importante os indivíduos entre si trocaram ideias, conhecimentos, discutiu-se formas de resistência e actuação social.

Este foi o segundo debate sobre a extração de gás ou petróleo na península de Setúbal em pouco tempo, e já se criou um grupo, um comunicado, um blog, já se criaram mais activistas. Outro grupo vai ser formado em Cacilhas e mais ideias sairão. Está-se também a preparar um debate na Caldas da Rainha, que está no meio da exploração de gás de xisto na zona oeste centro ( Alcobaça, Torres Vedras, Rio Maior, Alenquer). As Caldas também foi estudada e parece ser o melhor local para criar armazéns subterrâneos de gás natural.

Em 2012 quando iniciou o blog gasnaturalnao.wordpress  não se falava na extração de gás de xisto ou outro tipo de petróleo. Este ano, 2014, o Jornal MAPA  escreveu um artigo sobre o assunto, que despertou em seus leitores a necessidade de procurar mais informação e divulgá-la. O resto pode ser História e tu podes fazer parte dela, se te preocupas com a sustentabilidade mundial, com o comportamento humano e suas consequências no ecossistema cria o teu blog, o teu grupo e junta-te a esta luta contra a exploração de gás e petróleo em Portugal e no Mundo.

O CCL mais uma vez abriu as suas portas à comunidade para as informar e procurar ajudar nos problemas que a comunidade reconhece e naqueles que não sabem existir. Mais uma vez, mesmo com as dificuldades que grupos e indivíduos libertários ( os perigosos terroristas) atravessam devido ás condições sociais, repressão por parte da policia e estado, e desconhecimento por parte da população sobre o que representam devido á imagem passada pelos media e pelas corporações, que mete medo e afasta as pessoas, um pequeno mas consistente grupo levanta-se em defesa do ambiente, das águas, e do povo, contra todas as dificuldades… a favor de ti!

Ecolog√≠a radical TB(A)SMInforma-te sobre a extração “ não convencional” de gás e petróleo em Portugal e no mundo e reage!

Margem Sul do Tejo e Petróleo/Gás!?

gti_unconventional_map1Sabe-se que em Portugal a fonte de gás e petróleo é não convencional. As jazidas de hidrocarbonetos estão muito profundas podendo chegar aos 7.000 metros. Em Portugal já se perfurou até aos 3, 240 metros na concessão de Alcobaça/Aljubarrota. Em Alcobaça a concessão de gás, é no pré sal. No Barreiro também foi identificado o petróleo/gás pré sal, entre outros.

O gás/petróleo em questão encontra-se em reservatórios chamados Rochas Mãe. Por isso o petróleo de que tanto se fala é na verdade gás de xisto ( shale gas). A técnica para extrair tem o nome de Fractura Hidráulicaa (fracking).

A Formação de Brenha ( Bombarral, Cadaval, Alenquer) é o ponto G do gás de xisto.

all_basins_ptSegundo a lei do artigo 3º da portaria ANP nº 90, as áreas pré sal receberão nome ligados á fauna marinha, quando receberem o status de  “campo de produção”. ( Brasil)

A área on shore promissora para as corporações está na chamada Bacia Lusitânia, entre Setúbal e Coimbra.

Onshore – Bacia Lusitânica: Área “Barreiro”.

No Barreiro foi assinalado zonas pré sal, petróleo leve (Shallow oil), e gás natural não convencional. Mesmo sem saber especificamente que tipo de técnica será utilizada no Barreiro uma coisa é certa toda a perfuração não convencional vem aumentar os problemas criados pela industria petrolífera e seus subprodutos. Especialistas calculam que em certas técnicas pode aumentar até 3 vezes mais a poluição.

A área de concessão é de 855 km2. A concessão é válida por 8 anos, vai ser tempo de interpretação geológica, airborne gravity, dados sísmicos, etc.

Segundo a Oracle Energy corp. , Espera-se que existam 2 ou 3 areas potenciais na concessão; Triassic pré sal; Liassic ( Lower Jurassic) fonte não convencional. A corporação espera também que se encontre uma formação Jurrasic reef play. Não foi feita uma analise económica porque se está no inicio, para isso será necessário construir grandes infraestruturas para desenvolver totalmente estas fontes consideráveis.

xisto1.jpg mapa_folheto_tecnico31122010

Segundo a mesma corporação Portugal oferece excelentes termos fiscais, gasodutos com capacidade de apoio, governo estável, e provas da existência de dados petrolíferos.

A Oracle informa que já foram  perfurados 150 poços de exploração, 80% tinham presença  petróleo e gás; em 27% foi recuperado petróleo e gás, grande parte são Shallow; metade dos poços ficam numa pequena área.

O contrato de concessão On shore/offshore foi assinado, em 2013/02/01, com a empresa Oracle Energy Co. A Oracle trabalha de perto com a Mohave Oil. A Mohave tem 7 concessões com uma area de 1,86 milhões de groos acres. A Oracle têm 12 blocos totalizando 211,275 acres.

O Compromisso laboral da empresa para o Barreiro: 2013 estudos, 2014 Aerial geophysics, 2015, 2D Sismics.

Oracle-Website-Portugal-signing-rev-Des-art-2013-02-12-2Segundo o mapa  da empresa existem “poços chave” no Barreiro, na zona de Pinhal Novo, na área de Palhais ( norte da Nacional da Machada). No outro lado do braço de água, na área a sul  de Paio Pires. E um (1) em Lisboa.

Pelo mapa podemos ver as áreas de estudos sísmicos que estão a ser realizados na zona da Costa da Caparica, Aldeia do Meco, Sesimbra, Azeitão, Picheleiros, e de Pinhal Novo para Este. Na área da Baixa da Banheira atravessando o braço de água até à área de Samouco indo para este até…

No mar, a norte ao longo da  Costa da Caparica e Lisboa existe a área off shore na Bacia de Peniche: áreas Mexilhão e Ostra . Estas concessões estão entregues à Petrobras, Galp e Partex Oil and Gas.

A sul de Setubal existe a  área off shore na  Bacia do Alentejo: áreas: Lavagante, (sendo a mais próxima)  Santola, Gamba ( que vão até ao Algarve). Contratos de concessão de 2007 com consórcio  Hardman/ Galp/ Partex. Desde 2010 as concessões passaram para Petrobrás/ Galp. As areas offshore são consideradas a mais promissoras.

Na exploração off shore não convencional, caso de Portugal, a técnica para extração têm o nome de deep drilling.

histor2Devido ao tipo de gás/petróleo que as corporações dizem existir em Portugal, temos de esperar o pior para as futuras gerações. Seguindo o exemplo do que se passa nos EUA, Canadá, noutros países da Europa, etc as corporações vão negar que este “novo petroleo” é sujo. Apresentarão tecnologias novas, novos dados, cientistas, médicos, policias, trabalhadores, cidadãos, homens de Deus que dirão que  as empresas petrolíferas são um dos pilares mais importantes da sociedade actual.

A dependência dos povos em relação aos cuidados do Estado, mantêm as corporações senhoras das decisões sobre a sociedade em geral. Decidem sobre o modo de vida ( o que comer, vestir, que matérias primas utilizar, que tipo de energias necessitamos, como fazer comida, como utilizar a água, o que estudar, o que construir, o que acreditar) é  passado através de propaganda, inserido através da necessidade, tudo comprado com sangue, suor e submissão.

Para as corporações petrolíferas este novo desafio das fontes de energia “ não convencionais” é só mais um investimento, um passo. Para os povos que são afetados pelas explorações são doenças, roubo de terras, cultura , vida. Os Impérios gladiam-se, na grande arena que é o mundo, fazendo dos povos os seus gladiadores. Povos e indivíduos que se confrontam e agridem, fazem-no por dinheiro contra os pobres, fazem-no por trabalho contra quem vive no mato, fazem-no por poder contra quem não o têm ou quer.

Nós no Ocidente ( brancos) sempre nos habituámos a viver para pagar o conforto de viver na civilização. O que sempre quisemos ignorar é que alguém estava a pagar mais, muito mais que nós. Ignorámos as Cruzadas, a escravatura, a Monarquia, as Repúblicas, o Fascismo, para viver no “nosso conforto”. E mesmo em Democracia continuamos a ignorar que alguém está a pagar bem mais caro o “nosso conforto” e “ direitos do mundo civilizado”.

Durante décadas a industria das energias ( escravos, carvão, petróleo, nuclear) aproveitou-se da distância entre povos, da falta de informação, da falta de intervenção dos populares que “beneficiam” dos “recursos naturais” e da falta de voz dos povos que são afectados directamente pela extracção dessas fontes, sejam fontes  gasosas , mineral, vegetal ou animal. Agora sem parar de continuar a explorar as corporações, iniciaram o assalto ás terras, liberdades e culturas dos seus próprios concidadãos.

Agora a fonte de energia poderá ser extraída em locais onde será um concidadão, um familiar, um conhecido/a sofrer as consequências. Num lugar onde fomos felizes, onde crescemos, onde vivemos. Locais  onde vivem animais que conhecemos, locais protegidos que poderão ser destruídos, locais donde vêm a nossa água, onde ainda podemos plantar, ir passar os nossos dias. Acompanharemos amigos e familiares na doença, na luta judicial, na prisão, etc. Vamos chorar pelos que resistem , pelos que lutam feridos, pelos mortos que aumentarão ligados directamente á prospecção de petróleo no Mundo e em Portugal.

A margem sul foi  um marco da resistência dos explorados e perseguidos na altura da resistência ao fascismo. Hoje essa alma de resistentes continua presente . A população da margem sul, junto com os outros povos que habitam principalmente na costa portuguesa de norte a sul, e com o apoio dos povos do interior  deve e pode resistir à implementação do negócio petrolífero no mar e terra no Sul, a Norte, a Oeste e a Este.

Em terra as explorações vão de Setúbal a Coimbra. EM Off shore toda a costa será explorada e plataformas petrolíferas surgirão como borbulhas de acne.

Encontro Popular contra a Fractura Hidraulica ( fracking)

Encontro Popular no Barreiro para informação sobre o Fracking ( Fractura Hidraulica).

Oracle-Website-Portugal-signing-rev-Des-art-2013-02-12-2   A convite do Jornal MAPA, participámos num encontro no Barreiro organizado pelo jornal.

A iniciativa do MAPA vem de encontro a uma necessidade para a qual tentávamos alertar desde 2012, perceber o que se passa em Portugal ( e no mundo) no que diz respeito à exploração de gás e petróleo.

Pouco se sabe, as informações são confusas, muita dela a servir de contra – informação. Daí a necessidade de organizar encontros como o que aconteceu no sabado.

Do meu lado, que fui  representar o Blog, não sabia o que esperar.

Penso que seriam uns 50 participantes, podiam ser menos. Cidadãos locais, dos arredores, do Sul e Centro do País.

Tentámos esclarecer o maximo de duvidas, apresentando o que já se sabe sobre a exploração de gás e petroleo em Portugal e tentando responder  às perguntas feitas.

O secretismo das corporações, a falta de informação por parte do Estado e municipios, e a falta de acções de informação por parte das ONG verdes torna tudo um pouco mais dificil e confuso para alguem que nada sabia sobre petroleo e gás.

Para mim pessoalmente só a existência da industria petrolifera é razão suficiente para a confrontar com as suas acções. Mas a dependência da sociedade civilizada de energia fossil e outras, torna mais dificil explicar às pessoas que devemos combater a existência e crescimento da industria energética.

Somos dependentes de coisas que nos são nocivas, dinheiro, trabalho, “drogas”, e “ recursos naturais”.

Todas elas podem ser diretamente ligadas à industria do petroleo.

A industria petrolífera controla a economia mundial, provoca guerras, cria progresso e riqueza. Desde a sua aparição a exploração mundial aumentou tornando o mundo sujo, cruel insustentável.

Nós em Portugal estamos habituados a utilizar os recursos naturais sem pensar que nos afecta. Mas agora com a exploração não convencional de gás e petroleo, as consequencias das energias fosseis podem entrar em qualquer casa portuguesa. Doenças respiratórias, dores crónicas, hemorragias, cancros, etc estão já documentadas em regiões onde o fracking está a ser explorado.

Em Portugal as fontes de gás são:  de Shale gas, Tight Gas e gás natural não convencional. Técnica para este tipo de extração: Fractura Hidraulica.

No Barreiro foram identificadas fontes não convencionais, na area pré salt, Jurassic reef, etc…

shale-gas-reservas-portuguesas-ameaçam-petroleoO que isso quer dizer?

Para sabermos exatamente o que representa a existência de fontes não convencionais de gás e petroleo é necessário pressionar a classe politica e exigir respostas às corporações que trabalham em Portugal.

Este assunto não diz só respeito ao Barreiro, a aposta da industria petrolífera nas fontes não convencionais mostra que não têm a minima intenção de diminuir de verdade a sua “pegada ecológica” e tudo farão para perceber que estão. A costa portuguesa será mais uma vez sacrificada devido á quantidade de poços que já estão em estudo desde a Marinha Grande até ao Algarve. Depois temos também as areas para armazenamento de gás natural, que serão aumentadas nos locais jáexistentes, como no Carriço, Sines, etc… Como serão construidos outros locais, principalmente na zona Oeste, Caldas da Rainha, Nazaré, etc…

No Sábado, dia 25 de Janeiro de 2014, no Barreiro, cidadãos de diferentes meios politicos e sociais, pessoas preocupados com a poluição das águas, com o capitalismo, com a saude, com a zona onde mora, onde têm a sua horta, decidiram iniciar um grupo para começar a fazer perguntas sobre as conceções na Junta onde estão as concessões, na Camara local, nos ministérios, nos partidos que apoiam, nas ONG’s verdes na qual se identificam.

Tentar falar com os trabalhadores da prospeção e pressionar as corporações a divulgarem o que já fizeram, estão a fazer, o que vão fazer e como o vão fazer exatamente.  

O encontro de sábado foi um bom exemplo do que se pode fazer. Grupos populares podem se reunir e tomar desições que lhe dizem respeito a si e á comunidade sem a necessidade do apoio de grandes grupos ambientalistas ou ONG reconhecidas.

Tudo está no inicio, mas pode ser o primeiro passo para um 2014 cheio de acções contra a exploração de gáse petroleo em Portugal e no mundo.

 

Neste momento a propaganda é essencial para informar e levar mais pessoas a pensar neste assunto, mais um no meio de tantos outros problemas. Acreditamos que 99% dos problemas da sociedade de hoje é a industria do petroleo, seus sub-produtos ( quimicos, plásticos, medicamentos, gases, etc), suas “politicas”, suas acções, suas técnologias, suas consequencias.

Acreditamos que para um mundo melhor e sustentável o primeiro passo é um fim na dependência energética fóssil, nuclear, etc… depois podemos começar a pensar nas outras formas de energia.

Podem-se criar grupos como o que o que está a iniciar no Barreiro pelas várias localidades que vão ser afetadas pela exploração de gás natural em Portugal.

Seguindo o exemplo das pessoas do Barreiro, tentaremos também criar um grupo na zona oeste ( também afectada pela exploração de gás natural e petroleo)  para ir às câmaras requerer informação.

Para conseguir parar as corporações é necessário uma revolução individual e pessoal em nós próprios, para conseguirmos aguentar as mudanças pessoais e sociais necessárias para acabar com a dependência de mentalidade industrial como a da  petrolifera.

Sem dinheiro pode-se sobreviver. Sem água, não!

fractura-hidraulica2Obrigado ao MAPA pela iniciativa e convite. Obrigado aos que ajudaram, participaram e decidiram iniciar o grupo contra a fractura hidraulica ( fracking) .

Barreiro (Mohave oil nad gas), Nigéria ( Bolad Energy), Petroleo e Gás… Oracle (Canadá)

Barreiro, Nigéria, Mohave Oil e gás natural!

A Direção Geral de Energia e Geologia acaba de assinar um contrato de prospeção e pesquisa de gás natural e petróleo em todo o distrito de Setúbal, com a empresa canadiana Oracle Energy Corporation. O Barreiro é o ponto de partida.

133780234_640A concessão estende-se a todos os concelhos do distrito de Setúbal mas, numa fase inicial, vai centrar-se no Barreiro. É um contrato válido por oito anos e representa um investimento de 15 milhões de euros.

subsidiária EXON-MOBIL
http://www.oracleenergy.com/s/Management.asp
http://www.oracleenergy.com/i/pdf/Bolad.pdf

Em Fevereiro de 2013, a Oracle anuncia que a Direção Geral de Energia e Geologia, agência do ministério português da Economia e Trabalho, lhe concedeu uma concessão de petróleo e gás no Barreiro, na bacia Lusitânia. A nova conceção prevê uma exploração de 8 anos, a expirar em 2021. A nova conceção é 95% on shore uma área aproximadamente 211,275 acres (855 km).

Nos últimos 5 anos existe um interesse renovado no petróleo e gás em Portugal tanto em on shore (terra) como offshore (mar). Estudos e perfurações confirmam a existência de 2 sistemas petroliferos e 3 explorações significantes: O Triassic Pre-Salt, a Liassic (lower Jurassic) fonte não convencional e Upper Jurassic reefs. Da avaliação dos dados existentes sobre a área a Oracle espera que todos estes 3 se encontrem na nova conceção. Portugal esta relativamente pouco explorado, tem excelentes atrativos fiscais e já tem acesso ao mercado premium Europeu.

A Mohave Oil and Gas Corporation, acordou trabalhar com a Oracle para oferecer o seu conhecimento das técnicas potenciais para a nova conceção. A Mohave tem interesses de trabalho em quase 1,72 milhões de acres (7,000 km quadrados) na base norte da nova conceção da Oracle. A Mohave recentemente completou perfurações e abriu 23 poços como parte inicial da exploração não convencional. Enquanto analises geoquímica desses poços continuam com resultados positivos, os estudos continuam.

A Mohave também perfurou o seu primeiro pré sal, a uma profundidade total de 3,240 metros. O poço encontrou uma coluna de gás a 300 metros aprisionada debaixo de sal, e penetrou aproximadamente 50 net metros de areia com boas propriedades de reserva. Apesar de não serem suficientes para comercializar com sucesso, mostrou que se pode trabalhar em pré sal em Portugal

A concessão da Oracle tem um potencial de reserva tanto na pré sal como na extensão sudoeste da fonte não convencional da Mohave. A Mohave acordou em dar ajuda técnica à Oracle em troca de uma opção de 3 anos por 25% dos interesses de trabalho da concessão, tudo sujeito à aprovação do Governo Português.

Nasim Tyab disse. “A Oracle está contente por trabalhar com a DGEG e a Mohave nesta excitante aventura. Acreditamos que será um importante marco no petróleo e gás de Portugal. E esta nova concessão é uma boa oportunidade para a Oracle segurar trabalho no país.”.

A Oracle é uma corporação canadiana de petróleo e gás focada em oportunidades na Europa e em África. A Oracle está decidida a crescer através de valor criado pela exploração, desenvolvimento e produção – inicialmente na Nigéria e Portugal.

logo

O CEO da Oracle é Nasim Tyab, foi co-fundador e diretor da Mohave Exploration & Prodution inc. de 2006 a 2010, companhia com ligações à Porto Energy Corp com interesses de petroleo e gas em Portugal e Africa.

20070820-mepi

 Nigeria

gal.06.nigeria.afp.giLA Oracle entrou num acordo “MOU” Memorandum of Understanding com a Bolad Energy Company Ltd, Corporação nigeriana. O objetivo da Oracle é assegurar a participação como parceiro técnico e financeiro na nova Marginal Field, anunciada pelo Nigerian Departement of Petroleum Resources. Marginal Fields são locais com propriedades de gás e petróleo que ainda não foram comercializados, mas já foram minimamente explorados. Estes campos só estão abertos para companhias nigerianas.

A Bolad foi formada em 2006 e têm uma equipa com experiência de executivos de antigas companhias de petroleo, com provas dadas. A Bolad tem grande relação com o governo da Nigéria, e com responsáveis pelo regulamento e operações de empresas a operar na Nigéria.
A Nigéria tem reservas de gás e petróleo provadas estimadas pela United States Energy Information Administration (EIA) em 37,2 biliões de barris. Fazendo da Nigéria 0 10º maior local de reserva de petroleo no mundo, e o 7º maior em gás natural. Em 2011 a sua produção de crude era de 2,5 milhões de barris por dia.

images   hajjaj_oil_2008_2   photo_1351777254314-3-0