Encontro Popular contra a Fractura Hidraulica ( fracking)

Encontro Popular no Barreiro para informação sobre o Fracking ( Fractura Hidraulica).

Oracle-Website-Portugal-signing-rev-Des-art-2013-02-12-2   A convite do Jornal MAPA, participámos num encontro no Barreiro organizado pelo jornal.

A iniciativa do MAPA vem de encontro a uma necessidade para a qual tentávamos alertar desde 2012, perceber o que se passa em Portugal ( e no mundo) no que diz respeito à exploração de gás e petróleo.

Pouco se sabe, as informações são confusas, muita dela a servir de contra – informação. Daí a necessidade de organizar encontros como o que aconteceu no sabado.

Do meu lado, que fui  representar o Blog, não sabia o que esperar.

Penso que seriam uns 50 participantes, podiam ser menos. Cidadãos locais, dos arredores, do Sul e Centro do País.

Tentámos esclarecer o maximo de duvidas, apresentando o que já se sabe sobre a exploração de gás e petroleo em Portugal e tentando responder  às perguntas feitas.

O secretismo das corporações, a falta de informação por parte do Estado e municipios, e a falta de acções de informação por parte das ONG verdes torna tudo um pouco mais dificil e confuso para alguem que nada sabia sobre petroleo e gás.

Para mim pessoalmente só a existência da industria petrolifera é razão suficiente para a confrontar com as suas acções. Mas a dependência da sociedade civilizada de energia fossil e outras, torna mais dificil explicar às pessoas que devemos combater a existência e crescimento da industria energética.

Somos dependentes de coisas que nos são nocivas, dinheiro, trabalho, “drogas”, e “ recursos naturais”.

Todas elas podem ser diretamente ligadas à industria do petroleo.

A industria petrolífera controla a economia mundial, provoca guerras, cria progresso e riqueza. Desde a sua aparição a exploração mundial aumentou tornando o mundo sujo, cruel insustentável.

Nós em Portugal estamos habituados a utilizar os recursos naturais sem pensar que nos afecta. Mas agora com a exploração não convencional de gás e petroleo, as consequencias das energias fosseis podem entrar em qualquer casa portuguesa. Doenças respiratórias, dores crónicas, hemorragias, cancros, etc estão já documentadas em regiões onde o fracking está a ser explorado.

Em Portugal as fontes de gás são:  de Shale gas, Tight Gas e gás natural não convencional. Técnica para este tipo de extração: Fractura Hidraulica.

No Barreiro foram identificadas fontes não convencionais, na area pré salt, Jurassic reef, etc…

shale-gas-reservas-portuguesas-ameaçam-petroleoO que isso quer dizer?

Para sabermos exatamente o que representa a existência de fontes não convencionais de gás e petroleo é necessário pressionar a classe politica e exigir respostas às corporações que trabalham em Portugal.

Este assunto não diz só respeito ao Barreiro, a aposta da industria petrolífera nas fontes não convencionais mostra que não têm a minima intenção de diminuir de verdade a sua “pegada ecológica” e tudo farão para perceber que estão. A costa portuguesa será mais uma vez sacrificada devido á quantidade de poços que já estão em estudo desde a Marinha Grande até ao Algarve. Depois temos também as areas para armazenamento de gás natural, que serão aumentadas nos locais jáexistentes, como no Carriço, Sines, etc… Como serão construidos outros locais, principalmente na zona Oeste, Caldas da Rainha, Nazaré, etc…

No Sábado, dia 25 de Janeiro de 2014, no Barreiro, cidadãos de diferentes meios politicos e sociais, pessoas preocupados com a poluição das águas, com o capitalismo, com a saude, com a zona onde mora, onde têm a sua horta, decidiram iniciar um grupo para começar a fazer perguntas sobre as conceções na Junta onde estão as concessões, na Camara local, nos ministérios, nos partidos que apoiam, nas ONG’s verdes na qual se identificam.

Tentar falar com os trabalhadores da prospeção e pressionar as corporações a divulgarem o que já fizeram, estão a fazer, o que vão fazer e como o vão fazer exatamente.  

O encontro de sábado foi um bom exemplo do que se pode fazer. Grupos populares podem se reunir e tomar desições que lhe dizem respeito a si e á comunidade sem a necessidade do apoio de grandes grupos ambientalistas ou ONG reconhecidas.

Tudo está no inicio, mas pode ser o primeiro passo para um 2014 cheio de acções contra a exploração de gáse petroleo em Portugal e no mundo.

 

Neste momento a propaganda é essencial para informar e levar mais pessoas a pensar neste assunto, mais um no meio de tantos outros problemas. Acreditamos que 99% dos problemas da sociedade de hoje é a industria do petroleo, seus sub-produtos ( quimicos, plásticos, medicamentos, gases, etc), suas “politicas”, suas acções, suas técnologias, suas consequencias.

Acreditamos que para um mundo melhor e sustentável o primeiro passo é um fim na dependência energética fóssil, nuclear, etc… depois podemos começar a pensar nas outras formas de energia.

Podem-se criar grupos como o que o que está a iniciar no Barreiro pelas várias localidades que vão ser afetadas pela exploração de gás natural em Portugal.

Seguindo o exemplo das pessoas do Barreiro, tentaremos também criar um grupo na zona oeste ( também afectada pela exploração de gás natural e petroleo)  para ir às câmaras requerer informação.

Para conseguir parar as corporações é necessário uma revolução individual e pessoal em nós próprios, para conseguirmos aguentar as mudanças pessoais e sociais necessárias para acabar com a dependência de mentalidade industrial como a da  petrolifera.

Sem dinheiro pode-se sobreviver. Sem água, não!

fractura-hidraulica2Obrigado ao MAPA pela iniciativa e convite. Obrigado aos que ajudaram, participaram e decidiram iniciar o grupo contra a fractura hidraulica ( fracking) .

Anúncios

3 comentários a “Encontro Popular contra a Fractura Hidraulica ( fracking)”

  1. Uma coisa, devemos manter clara para todos. Uma das maiores riquezas, mais do que combustíveis e minerais preciosos é a água. Também está bem documentado que há volta da água se pode manter uma economia e uma nação saudável. Não devemos deixar perder aquele que é provavelmente, o nosso melhor recurso. Como fazer pressão para saber mais informações sobre o que se está a passar, alguém tem boas ideias sobre isso?

    http://www.brasilescola.com/geografia/agua-uma-riqueza-limitada.htm

    http://blog.greenish.com.br/eco-greenish/agua-nossa-maior-riqueza#.UuqAbrSTbjs

    http://www.jornalcidade.net/rioclaro/intervalo/datas/39803-Apenas-25-da-agua-do-planeta-e-propria-para-consumo-humano

    1. No que se passa em relação à prospeção de petroleo e gás em Portugal para a população geral nada está claro. A água é um elemento natural indespensável para a vida (70% do corpo humano é água). É verdade que o Estado português vê as águas como um “Bem”. disso é prova a privatização das Àguas de Portugal, o silêncio sobre as condições das àguas para consumo humano, e principal sobre os ações necessárias para a “limpar” até atingir ” valores aceitáveis”, principalmente os efeitos nocivos do cloro utilizado para ” limpar as àguas”. Para a Nação, fala-se do valor da ” nossa área maritima” ao nivel de “recurso”.

      Como fazer pressão?

      O que passou no Barreiro é um bom exemplo, já que ainda está em andamento, porque levou a criação, por parte de cidadãos locais, e não só, de um grupo para organizarem formas de se informarem, por exemplo junto da cãmara.

      Levar a sério o que passa é um passo importante.

      Os sites brasileiros são bons para se perceber o que se vai passar no Barreiro, já que uma das explorações encontradas pelas corporações é exatamente Jurrasic pré sal, entre outras.

      Uma outra opção para fazer pressão para se saber o que se passa é levar as corporações envolvidas a revelar o que andam a fazer e como. No caso do Barreiro uma das envolvidas é a http://www.oracleenergy.com, multinacional Canadiana. a Outra é a Mohave Oil nad Gas/ Porto Energy. A sua firma de advogados é a VST-Advogados ( que podes saber quem são, aqui no blog).

      Fora do Barreiro, outra corporação petrolifera investe na exploração de gás em portugal e que pode ser pressionada diretamente. Falo da Partex Oil nad Gas (Fundação Gulbenkian).

      Muito importante é uma mudança no modo como vemos o mundo natural que nos rodeia, ou o ar e a água, que respiramos e bebemos.
      Deixar de ver o mundo vegetal, mineral e animal como “recurso” e iniciar passos para que cada vez menos, vejamos as arvores, os rios, os animais como ” utilidades”.

      Existem alternativas para as energias, para o mundo industrial, para o modo como nos vemos em relação ao mundo natural que nos rodeia. Nenhuma delas passa pelas soluções das corporações, da classe politica, ou mesmo por alguns grupos “verdes”.
      è importante não ver esta resistência à industria petrolifera como uma “luta ambiental”. Mas sim como uma resistência crucial, que queremops deixar um mundo futuro, menos insustentável, mais cruel, que levará á extinção de grande parte do mundo natural, incluindo, nós ” Humanos”.

      Para acabar, a tua ideia em procurar saber, é a principal.
      Informação, Criação, Acção!
      Obrigado por juntares a tua preocupação á nossa.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s