Adeus facebook! LIKE…

Facebook, Adeus. Não passarás!

Já atingi o objectivo!

A página face foi criada com o único objectivo de divulgar informação sobre as concessões petrolíferas em Portugal, das Tar Sands do Canadá e no Mundo, de encontrar pessoas com a mesma preocupação e mostrar alternativas às ONG’s e grupos de pressão política.

Divulgar informação porque ao procura-la descobri que nenhuma ONG’s ambientalista o fazia, não existe nenhum documento da Quercus, por exemplo, que só em 2014 lançou um comunicado a exigir estudos de impacto ambiental, apesar dos trabalhos petrolíferos em Portugal virem dos anos 80, para não ir mais atrás. Em 2012 criei o blog: gasnaturalnao.wordpress para partilhar a informação que fui encontrando em estudos e doutoramentos universitários, comunicados das empresas, noticias nos jornais regionais, programas de televisão (grande parte em 2012, a maioria com a presença de Representantes da Partex Oil and Gas (Gulbenkian), e Nuno Ribeiro da Silva especialista em energias, actual empregado da Endesa, com umas entrevistas a geólogos e outros ramos da indústria petrolífera, extração de minerais, energia e outros recentes doutorados. Além do trabalho cibernético, que é um complemento e não o focus activista, sempre estive no terreno, ainda com muito para fazer. Todos os movimentos activistas procuram incentivar o povo a participar, uns na votação do próximo representante político, outros na inscrição e apoio financeiro na ONG’s mais correcta, outros mais, na pureza do mundo e da alma abaixo da RELIGIÃO certa, onde incluo as chamadas “Orientais”, as ocultas, esotéricas, Rainbows e afins e ainda os da economia verde. Eu sempre procuro activar o indivíduo livre que existe em cada um de nós

Ecocentrismos em lugar de Egocentrismos! Civilização vs Vida!

Todos devem procurar agir pelo que acreditam, experimentar, sentir, decidir, e não repetir se só nos fez chorar ou rir, sem na verdade conseguir parar, apenas atenuar ou atrasar a destruição que está para vir… “O que impediu que tudo o que eu acreditava não tenha dado resultado?” Todos nós fazemos escolhas erradas, com namoradxs, amigxs, patrão/patroas, representantes políticos ou outros, alguns por momentos, outros por tempo indeterminado, mas não é fácil descobrir que aquilo em que acreditamos tanto tempo afinal não é verdade.

Porque estão petrolíferas e governos a investir na procura e exploração de petróleo? Com campanhas intensivas contra as energias fósseis desde os anos 80, sem resultados positivos.

A minha opinião é que talvez seja a entrega das decisões mais importantes para a sociedade num todo, a Especialistas, que provoca um desequilíbrio nas acções populares, que afasta os que mais vão sentir o impacto da exploração petrolífera, o povo local e mundial. Vivemos num sistema de organização onde, sim é necessária a pressão política, mas é errado elege-la como passo principal. Sim é necessário apoiar grupos ambientalistas, mas não aceitar o financiamento do capital verde, e não pagar para eles fazerem o “seu trabalho”, enquanto nós pensamos que já estamos a ajudar a natureza, mas na verdade não o estamos a fazer.

Um exemplo: Quando uma vítima de violência doméstica (homem, mulher) usa maquilhagem, e voluntariado social para esconder e assim perpetuar a violência cometida em si. Quando descoberta procura desculpas para a violência do agressor com a escolha de ver o “bom que elx têm”.

Acredito que o problema esteja no modo como os grupos ambientalistas aceitaram a pirâmide de poder, em prol da horizontalidade social (democracia directa). Não podemos andar às costas de uns dos outros, nem de andar á RODA, como se fosse destino!

Sempre ouve alternativa às guerras do poder pelo poder, sempre ouve alternativa á liberdade para ser economicamente rico/estável. Essa alternativa é a Revolução para ser Livre da liberdade para pagar! Um Mundo onde não se procura dividir a riqueza, mas sim dividir a pobreza.

o-eu-1-638

Em 2012 descobri os grupos anti petróleo MALP (Movimento Algarve Livre de Petróleo) e a ASMAA (Algarve Surf and Marine Activities Association). Só 2 anos mais tarde vão parecendo mais, 2016 foi o ano de explosão e espero que 2017 seja a confirmação de um movimento de norte a sul anti petróleo. Foram criados vários movimentos institucionais, alguns são braço do capitalismo verde, sucursais, sem resisto, da indústria da energia verde. Não vai ser um ano fácil para os grupos e indivíduos activos que entrarão numa roda de acusações, onde muitos levarão como ofensa pessoal, outros como uma crítica justa ou não, seremos acusados de instabilidade. Alguns estão ser levados pela energia do conforto que as energias fósseis nos forneceram e que não querem largar, fazendo o jogo da indústria de mineração, energia (incluindo alimentação), transporte, embalagens e engarrafamento.

Nunca tive como meta criar um movimento, mas sim ajudar a que se fosse criando um, e essa meta está atingida, até a Zona Oeste já mexe. Posso dizer que conheço o movimento todo, uns porque os conheci pessoalmente durante estes anos, principalmente na Bicicletada Anti Fracking e outros porque seguem as mesmas regras que movimentos existentes há 20 ou 30 anos, isto falando dos ambientalistas que herdaram as “soluções” institucionais vindas dos direitos republicanos, com pilares mestres da monarquia, e de onde a democracia mantêm o conservacionismo.  No que diz respeito às ONG’s nacionais e internacionais a crítica é ao seu modo de financiamento e não a 90% das pessoas (ou 99% se preferirem) que com elas colaboram. Com as pessoas que conheci pessoalmente, bom, muitas posso dizer: “ Como é necessário uma semente masculina e uma feminina para criar uma nova vida. Também está intrínseco o necessário, além do possível!”

Acredito em pessoas que estão em ONG’s, grupos ou movimentos e posso não acreditar nas ONG’s, Grupos ou movimentos. Como Acredito em grupos ou movimentos, cooperativas e associações deveriam ter cuidado com algumas pessoas! A Liberdade de Expressão pode ser instável? Ou deve sê-lo?

Alternativa?

EU, TU,ELX, NÓS, VOÇÊS, ELXS. Eu: não activista; Tu: não profissional; Elx: não religiosa! Conseguimos? Elxs, Nós, Vocês: sem estatutos, imagem a defender, sem workshops de “politicamente correcto”, sem doutoramentos. Todos Nós: sem analfabetos e instruídos, uma linha de pensamento horizontal. Possível?

Adeus facebook! Olá Rua! de volta Alternativa!

Existe uma luta de classes, claro. É a minha classe, a dos ricos que a começou, e estamos a ganhar! Warren Buffet

%d bloggers like this: