Agricultura, alimentação, fracking, gàs natural

FRACKING E A ALIMENTAÇÃO

Novas Formas de perfuração e técnicas de fracturação hidraulica tornaram possível extrair petróleo e gás de rochas que eram anteriormente inacessíveis. A expansão do fracking pelos EUA, tem sido um pesadelo para os americanos expostos á poluição ambiental, problemas de saúde pública, e causa grandes riscos de contaminação das águas, que vai afetar a agricultura.

O fracking existe principalmente nas zunas rurais, e muitos agricultores arrendaram as suas terras às industrias do petróleo e gás. Exemplos do impato negativo do fracking na agricultura estão a ser descobertos. A contaminação da água por químicos tóxicos do fracking fez adoecer e morrer animais, acidentes e derrames contaminaram as colheitas pelo país. Estes incidentes podem afetar a confiança do consumidor na produção de comida nessas áreas. A água necessária para o fracking põe sérios problemas a agricultura, e o processo pode contribuir para as alterações climáticas.

Os agricultores, da qual a vida depende da vida saudavel da terra, têm de tomar decisões difíceis. Muitos alugaram as terras às companhias de petróleo e gás com a promessa de retornos financeiros e impato ecológico mínimo. Os agricultores orgânicos podem perder a avaliação se a industria poluir as águas, os animais ou colheitas, e as vendas podem cair.

O que é o fracking?

 Hidraulic fracking ou fracking, é o processo de injetar uma mistura de água, areia e químicos em poços a alta pressão para partir a rocha e libertar o gás ou petróleo. Avanços na tecnologia de fracking tornaram possível extrair petróleo e gás de rochas impermeáveis. Depois da perfuração, são injetados milhões de litros de fluido de fracking para partir a rocha para o gás se poder libertar. Dependendo da geologia, entre 25% a 75% dos milhões de fluidos utilizados voltam á superfície contaminado. Um grande volume de água salgada contaminada é produzida. Estas duas águas toxicas combinadas, podem também ter radioactividade e outros poluentes.

Estudos recentes, mostram que o aumento do fracking pode aumentar e acelerar o aquecimento global devido á quantidade de metano libertado, um potente gás efeito de estufa, que representa 90% dos derrames e fugas para o ar. Emissões de compostos voláteis orgânicos, benzene e toluene podem ser emitidos ou libertados durante o fracking e são perigosos para os cidadãos.

Efeitos na agricultura

 Contaminação da água

Existem muitos casos documentados de água contaminada que afetou a agricultura. A contaminação das águas, causou doenças e morte nos animais. Incidentes documentados ocorreram devido a derrames, acidentes que resultaram de negligência, mas também como “consequência normal das operações”. Por outras palavras o fracking é incompatível com a agricultura.

Não é requerido às corporações que parem de utilizar os químicos, e não existem procedimentos para isolar os animais contaminados dos outros animais. Estes animais podem estar em quarentena por um tempo ou não serem mortos para alimentação humana, mas os animais podem ser utilizados para alimentação de outros animais.

Um olhar sobre a exposição dos animais à contaminação devido ao fracking descobriu que as vacas são especialmente frágeis às águas contaminadas. Os animais sentem dificuldade em respirar, altos níveis de abortos e filhos deficientes. No Louisiana, 16 vacas morreram depois da água ter sido contaminada, 28 bezerros foram postos em quarentena, depois de um derrame num lago de água contaminada.

Produção agrícola

 A Penn State Extension analizou o impato do fracking na Marcellus shale na região da Pennylvania, onde muitos agricultores alugaram as terras para fracking. O estudo descobriu um aumento de mortes de animais nas áreas de fracking é comum.

Os químicos que afetam a agricultura e os habitantes locais. A contaminação de água foi encontrada em 1.000 casos perto de locais de perfuração ou fracking. No primeiro caso documentado pelo governo federal, a U.S. Enviromental Protection Agency encontrou num poço em Sublette, Wyoming, que continha vários químicos associados ao fracking, incluindo valores 1,500 mais elevados de benzene considerado seguro. A exposição ao Benzene provoca Leucemia e outras doenças.

Uso da água

 Além da contaminação, o fracking apresenta uma potencial força de competição com a agricultura pela água fresca. No Colorado, o fracking gastou 4,5 biliões de gallons em 2010 e está previsto utilizar 6 biliões em 2015 ( 1 gallon são 3,7 litros). Numa recente audição estatal sobre os direitos a 8 biliões de litros de água, as corporações de água adquiriram 750 milhões para fracking, o fracking cria pressão na procura de água em algumas regiões.

Consumidor

 Com o crescente conhecimento dos perigos do fracking, as pessoas podem ficar mais sépticas sobre consumir comida das áreas do fracking. Por exemplo, a Park Slope Coop em Brooklyn, New York, uma cooperativa de comida a retalho, com mais de 16,000 membros, compra quase $3 milhões em produtos alimentares cada ano. “Se o ar está contaminado e os animais bebem água contaminada devido ao fracking, então os produtos alimentares estão envenenados. Vamos ter de deixar de comparar nas áreas do fracking.” Diz um diretor da Cooperativa

O fracking prejudica as comunidades locais

 Quando os agricultores e outros proprietários de terras alugam as terras para fracking, os ganhos são só temporários. Os preponentes do fracking tipicamente não contam com os danos económicos a longo prazo e a significativa erosão no bem-estar das comunidades. Novos poços trazem comboios de camiões pesados que danificam as estradas e que transportam águas e químicos potencialmente perigosos. Centenas de camiões são necessários por cada poço. O barulho da perfuração por 24 horas, 7 dias por semana. Vistas naturais são substituídas por poços e ferro, que baixa os valores dos terrenos e prejudica o turismo.

Conclusão:

Nestes tempos em que a sustentabilidade é a chave para operações futuras, pode-se questionar se a injeção subterrânea de produtos tóxicos deveria ser permitida, ou se deveria ser proibida, já que tal prática poderia restringir ou excluir qualquer uso posterior da capa contaminada (por exemplo Geotérmicos), os efeitos a largo prazo não foram investigados. Em uma área ativa de extração de gás de xisto, injetam-se cerca de 0,1-0,5 litros de produtos químicos por metro quadrado. Os privilégios atuais para a exploração de gás natural e petróleo deveriam ser reavaliadas em vista os seus impactos ambientais que não são compensados pelo seu correspondente benefício potencial já que a produção específica de gás é muito baixa.

Retirado de : Food and Water watch

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s