Santola 1X (Furo de Aljezur)

O contrato de concessão foi assinado, em 2007/02/01, com o consórcio Hardman / Galp / Partex.

Em 2010/03/25, por Agendas aos contratos, esta concessão passou a ser detida pelo consórcio Petrobras / Galp.

Em 2014/02/01, por Agendas aos contratos, esta concessão passou a ser detida pela empresa Galp.

Desde 2014/12/18, por Agendas aos contratos, esta concessão é detida pelo consórcio ENI / Galp.

Em 2017 a Eni e a Galp obtiveram licença para perfurar ao largo de Aljezur a cerca de 50 km da costa a uma profundidade de 3.000 metros. Nesse mesmo ano concessão foi revogada. Mas em Maio de 2018 as empresas obtiveram licença para furar entre 15 de Setembro a 15 de Janeiro de 2019.A licença foi autorizada depois da APA (Agencia Portuguesa do Ambiente) anunciar que o furo não necessitava de avaliação de impacte ambiental, passando limpa nas 50 medidas exigidas pela agencia.

  • Dia 13 de Agosto 2018 a Providência Cautelar da PALP é aceite. Segundo o Tribunal: ” face ao exposto, defere-se o presente processo cautelar e em consequência: Suspende-se a eficácia do do acto de emissão  do Tupem: Intima-se as interessadas em não prosseguirem com quaisquer trabalhos.”
  • No dia 20 de Agosto o Governo recorre da providência cautelar…

“A confirmar-se a existência de petróleo isso contribuirá para a substituição de importaçõesAugusto Santos Silva; Ministro dos Negócios Estrangeiros.

  • No dia 29 de Outubro 2018 A Galp e a Eni decidiram abandonar o projeto de prospecção de petróleo em Aljezur, ao largo da costa alentejana.

A decisão foi comunicada pelo presidente da Galp, Carlos Gomes da Silva, durante uma conversa com analistas (de dívida), sobre os resultados do terceiro trimestre da empresa.

Analistas da Galp são/foram:

Caixa Bank:

“Iniciou a cobertura da Galp com uma recomendação Overweight. .  A analista menciona também que a Galp está bem posicionada para obter um investment grade.” (…)

Merrill Lynch

“Reiterou a sua recomendação Overweight-30% para as obrigações GALPPL 4,125% 01/19 e GALPPL 3,00% 01/21 no seguimento da apresentação de resultados do ano completo de 2016 da Empresa e a venda parcial da atividade de infraestruturas reguladas de gás natural durante o ano. O analista destaca a evolução esperada da geração de cash flow, o que contribuirá para a desalavancagem financeira da Empresa, considerando os níveis atuais de preço do Brent.”

Santander

“Iniciou a cobertura na Galp com uma recomendação Overweight, e com a visão de que a Empresa poderá vir a ser considerada Investment Grade com a recuperação do seu perfil de crédito”. (…)

Barclays

“Alocou uma recomendação Overweight à Galp e acredita que a Empresa terá uma qualidade de crédito de Ba1/Ba2. . O analista destaca ainda o suporte oferecido pela base de ativos diversificada da Empresa em contextos desafiantes do preço de petróleo.”(…)

Disclaimer

“As instituições referidas nesta página emitem opiniões sobre o desempenho dos instrumentos de dívida da Galp transacionados no mercado. Quaisquer opiniões, estimativas ou previsões relativas a estes instrumentos efetuadas pelos analistas são da sua inteira responsabilidade e não refletem as opiniões da Galp nem da sua administração. (…)  As recomendações de uma instituição devem ser consideradas no seu contexto, nomeadamente no texto completo da análise em que se baseia, no momento da sua publicação e considerando o leque das recomendações utilizadas pela instituição.”

 

 

 

Anúncios

Fracking & Não convencionais? Nem para a Minha Familia! Nem para Nenhuma Outra!!

%d bloggers like this: