Concessão-Bajouca/Leiria

Australis Oil and Gas, Concessão Pombal, Bajouca, Leiria

No dia 18 de Setembro 2018 a Australis entregou os documentos para uma proposta de definição do Âmbito do estudo de impacte ambiental (PDA):

Sondagem de Prospeção e Pesquisa de Hidrocarbonetos por métodos convencionais na Área de Concessão Pombal

Localização:

Rua do Loural com a Rua de Bouça de Lá, freguesia de Bajouca, concelho de Leiria com uma área de 0,6 ha.

 

 

Áreas sensíveis:

Deixamos aqui um excerto do blog da Associação Bajouquense para o Desenvolvimento sobre o Parque Natural do Pisão – O Verde Deslumbrante

 

 

“O Parque Natural do Pisão, é um dos sítios privilegiados onde a explosão de vida e cor é fascinante.

A abundância e a cor do seu verde parece ferir a vista de quem chega.

Olhar dentre dele, observar as diferentes matizes de verde, o contraste com a luz que entra por entre as folhas e se reflete na água do ribeiro, provoca o sentimento de irrealidade paradisíaca imaterial.

Gostamos que o Parque nos transmita paz, serenidade e bem-estar e, simultaneamente, nos ajude a acreditar que a beleza da renovação também parte de nós.

No passado sábado, dia 25 de Abril, vários bajouquenses deram uma boa contribuição para que o nosso Parque continue aprazível e belo. Vejam algumas fotos.

Um exemplo a seguir, sem dúvida! Na próxima ação de limpeza com certeza virão muitos mais!

Deixamos aqui um desafio!

Quando é que os proprietários vizinhos do Parque se querem juntar a nós para limpar os seus terrenos contribuindo não só para a sua valorização como também na prevenção de incêndios?”

Esta é a opinião da Australis sobre zonas de importância comunitária ou de proteção especial:

f

(Não existe o Parque Natural do Pisão)

Tipo de projecto:

O trabalho proposto para a Concessão de Pombal, consiste na realização de uma sondagem de um poço vertical no ano de 2019 com o objetivo de atingir a formação de Silves, a uma profundidade de aproximadamente 4.350 m.

Uma vez alcançada esta formação, com a recolha até 200 metros de testemunho convencional ao longo do poço e execução de diagrafias em toda a sua extensão, será realizada uma sondagem horizontal a partir de aproximadamente 3.400 metros de profundidade e com um alcance de 300 a 700 metros de extensão, com o objetivo de avaliar a formação de Lemede para produção de hidrocarbonetos.”

  • Um segredo bem guardado pela empresa, pela ENMC, e pelo Estado. Este poço apareceu do nada, porque nunca se tinha falado na possibilidade de furos nesta área nem em 2007 com a assinatura da concessão Cabo Mondego-2, onde a Mohave Oil só se referia a estudos sísmicos 2D e 3D. A Australis no inicio do ano só apresentou um estudo para a concessão de Aljubarrota, que foi negado pela APA em Julho. Em Setembro aparecem dois novos documentos onde entra o furo em Bajouca, Leiria.

  • Vai ser o furo com a maior profundidade registrada até hoje. O furo de Aljubarrota em 2012 atingiu cerca de 3,700 metros, onde se encontrou uma coluna de gás e confirmada a existência de Tigh oil (petróleo leve).

  •  Pretende analisar duas “fontes geradoras de hidrocarbonetos” Formação de Silves e de Lemede.

JUSTIFICAÇÃO E OBJETIVO DO PROJETO

A pesquisa de Gás Natural em Portugal e em particular na área de Pombal foi identificada como um dos principais fatores determinantes para o sucesso do projeto de pesquisa de gás natural no onshore da Bacia Lusitânica, em Portugal.”

Foi identificada a existência de sinais de hidrocarbonetos na área da concessão da Pombal, nomeadamente:

  • No pós-sal do Jurássico, com rochas do Período do Jurássico (…) Acredita-se que a rocha sedimentar orgânica do Jurássico Inferior seja a rocha que gera essas ocorrências.

  • No pré-sal do Triásico: O reservatório primário conhecido como Formação de Silves, um arenito fluvial, potencialmente produzido por carvão e rochas sedimentares do período Permo-Carbonífero, rochas sedimentares do período Devónico e rochas sedimentares do período Silúrico”

    Não se consegue extrair hidrocarbonetos das rochas sem utilizar algum tipo de estimulação (Fracturação Hidráulica).

Com base em análises detalhadas da informação existente, a Australis pretende realizar uma sondagem de Prospeção e Pesquisa de Hidrocarbonetos por métodos convencionais, na área de Concessão Pombal (“Sondagem” ou `Projeto`) numa determinada parcela, na freguesia de Bajouca, no concelho de Leiria.”

  • A Australis repete o maior nr de vezes possível: métodos convencionais. Talvez uma meia verdade. Nesta fase do projecto podem só utilizar a perfuração horizontal.- a primeira etapa para Fracking (Fracturação Hidráulica)…podem… Mas o Fracking…se não for neste furo será no próximo. Em 2030 em vez de se estar a abandonar as fontes de energia fóssil, Portugal pode estar no grupo europeu que iniciará os trabalhos em larga escala utilizando fracturação Hidráulica.

O trabalho proposto para a concessão da Pombal, consiste na execução de uma sondagem de um poço vertical no ano de 2019 com o objetivo de atingir a formação de Silves, a uma profundidade de aproximadamente 4.350 m.

Uma vez alcançada esta formação, com a recolha de 200 metros de carote em intervalos diferentes e execução de diagrafias em toda a sua extensão será realizada uma sondagem horizontal a partir de aproximadamente 3.400 metros de profundidade, com o objectivo de testar de avaliar a formação de Lemede para produção de gás natural.”

Um dos objetivos desta operação numa primeira fase, é a sondagem de um poço piloto para avaliar e testar a formação de Silves a uma profundidade de 4.350 metros. Concluída esta primeira fase, sela-se a secção inferior da sondagem piloto dos 4.350 metros até aos 2.900 metros por forma a ser abandonada de forma segura. A segunda fase da sondagem começa com um poço horizontal aos 2.900 metros de profundidade, momento em que se inicia o desvio da sua trajectória, que terá uma orientação horizontal a aproximadamente 3.400 metros e com um alcance de 300 a 700 metros de extensão, a fim de avaliar a formação de Lemede

(…) Na fase seguinte, aos 2.100 metros, temos a secção em que a sondagem inicia a trajectória para a horizontal (…)

  • São registadas duas profundidades para o inicio da perfuração horizontal: 2900m e 2100 metros. Com qual ficamos?

Lamas de Perfuração

Resultado de imagem para algarve fracking sousa cintra

(Concessão da Portfuel, Algarve)

Nesta sondagem utilizar-se-ão lamas à base de água. Caso haja necessidade, poderão ser utilizadas lamas à base de óleo.

Nas lamas à base de água, a água é o componente com maior percentagem na solução. Representa +/- 80%. Existem outros componentes, tais como a bentonite e a barita, que representam 5% a 10% da solução.”

  • 80% +10% = 90%! Os outros10% são muito importantes(químicos vários).

  • Barita BaSO4 é um mineral (sal) de sulfato de bário (metal pesado).

  • Cerca de 90% da produção de barita mundial é utilizada nas lamas de perfuração na indústria petrolífera. Também é utilizada no fabrico de tintas e de papel.

    • Em Portugal pode ser encontrada em Segura, concelho de Idanha-a-Nova, onde em tempos se procedeu à sua extração.

  • Bentonita- mistura de argilas geralmente impura, de grãos muito finos.

    • Possuí como principal característica o poder de inchamento, até 20 vezes seu volume inicial.

      • Já tínhamos a Perfuração Horizontal. Agora já temos os propantes (barita e bentonita). São dois dos passos para a utilização do Fracking. São 2 passos dos 3 que já estão. Só faltam os químicos!

        • Os propantes também são conhecidos como Frack Sand (areia de fracturamento)

    • Em Portugal é vendida pela Vermeer Portugal, que negoceia a marca da Halliburton (Empresa que patenteou a técnica da Fracturação Hidraulica)

    • Em estudos nos EUA sobre as cerâmicas utilizadas no Fracking e outras industrias foi descoberta a presença de crystalline silic (que se encontra presente na bentonita). Numa informação do National Cancer Institute a crystalline silic é responsável por cancros do pulmão nos trabalhadores

L08zbS8tME0zWnJTbS9ObC5BMmIuYS9hd3ZzaDl3bGIybGhzQXdzZmhYaC9OU25UdW5aS1pqc2Vqbk1Fako3WkZzQU1uTXJNLVovOVNKN2pKTTdTc1NzaC1NN01Eam0vR3VNSzhzclNGdHp0ZGty

De momento, a composição específica da lama não é conhecida. “

  • O passo 3 para se identificar uma Fracturação Hidráulica não pode ser apontado porque a empresa ainda não sabe que tipo de químicos vai necessitar…

O objetivo da Australis na formulação das lamas será o de evitar tanto quanto possível o uso de substâncias prejudiciais para o ambiente”

  • Em caso da necessidade de utilização de substâncias prejudiciais ao meio ambiente, quais são?

    • E o impacto no ser humano?

    Testes de Poço

  • Uma vez concluída a sondagem, serão realizados uma série de testes para determinar a sua produtividade e a viabilidade económica. Inicialmente, será efetuado um teste preliminar nos primeiros 7 dias com recurso a equipamentos instalados no local.”

    • Como testar petróleo ou gás não convencional e a sua viabilidade econômica sem Fracking?

    • Depois dos 7 dias iniciais qual o equipamento que vai ser instalado para os 6 meses seguintes?

    • Qual a diferença do equipamento para teste preliminar e os testes seguintes?

    Utilização de Recursos

    Água

    A água representa a maior fração na composição das lamas de perfuração. Irá também ser utilizada por exemplo, em atividades de limpeza e armazenada para um potencial combate a incêndios. “

    • Os milhões de litros de água utilizados ficam impróprios para consumo humano devido à saturação por Cloreto de Sódio (sal). Semelhante à salmoura produzida nos reservatórios de gás subterrâneos em Carriço.

    Produção de emissões para o ar

    As emissões atmosféricas durante a sondagem resultarão da utilização de combustível gasóleo para a produção de energia na plataforma de perfuração (sonda), nos equipamentos auxiliares, veículos presentes na instalação e da queima controlada durante fase de teste de poço no queimador da tocha (flare). “

    • Quantos emissões evitadas por veículos elétricos serão anuladas pelos gases dos motores das sondas e logística com fontes de energia fóssil?

    • Flare: Queimar Metano para libertar CO2. Utilizado para controlar a pressão do gás.

      • O Metano é muito mais prejudicial do que o CO2 no combate às alterações climáticas

      • O flaring liberta 350 milhões de CO2 por ano e é considerado uma perda de fonte de energia.

        • Em 2017 foram queimados 141 biliões de metros cúbicos (bcm)de gás natural.

        • São causados sérios impactos nocivos devido a Metano não queimado e emissões de carbono negro

        • O processo acontece devido a limites legislatório, técnicos e económicos

        • Estes dados foram lançado em 2018 pelo grupo Global Gas Flaring Redution Partnership (GGFR), organização do Banco Mundial.

    • Em 2015 as Nações Unidas e o Banco Mundial lançaram a iniciativa “Zero Routine Flaring by 2030”. os aderentes terão de não utilizar rotineiramente o flaring em novos campos de petróleo ou gás até 2030.

    • A Galp é uma das várias empresas que aderiram à iniciativa em 2015 durante a COP 21.Resultado de imagem para “Zero Routine Flaring by 2030”.

A Australis Oil and Gas com este projecto olha para Portugal como uma fonte de Recursos Naturais (hidrocarbonetos) e para os portugueses como Recursos Humanos (mão de obra) para atingir os seus objectivos, como têm feito os elementos no seu quadro da direção durante as décadas de profissão na indústria petrolífera aos povos pelo mundo.

A indústria petrolífera quer-se manter como  a principal fonte de energia e combustível no mundo durante o séc XXI. A Australis quer ajudar.

E Tu o que pensas?

Concessão Pombal: 2018.09.14 – Australis_PDA Pombal

Resultado de imagem para fracking não

Rancho Folclórico do Grupo Alegre e Unido, Bajouca Leiria – Regadinho:

 

Podes ajudar assinando aqui até ao dia 27 de Novembro: gas.anossavoz.pt. Depois?

Anúncios

Fracking & Não convencionais? Nem para a Minha Familia! Nem para Nenhuma Outra!!

%d bloggers like this: