Armazenamento de Gás Natural em poços. Problemas ambientais e consequências…

Os vários negócios da industria petrolifera são inumeros, desde material derivado de petroleo, matéria prima derivada dos “excedentes” das operações de extração, armazenamento e tratamenmto de gás ou petroleo. O cloro é um dos produtos excedentes do tratamento de gás natural que se vende por exemplo para “desentoxicar” as águas para consumo doméstico.

Em Portugal não faltam corporações desejosas que o fracking se inicie continuamente para aumentar os volumes dos seus negócios. Antes da possibilidade de se extrair gás natural do solo português, as mesmas empresas que forçam a exploração de gas natural já ganhavam. A REN, agora privatizada, já é um negócio rentável, com o armazenamento de gás será um dos pilares da industria do petroleo e gás mundial em Portugal, juntamente com Sines e a Refinaria de Matosinhos.

A sua preocupação é a segurança energética nacional (fornecimento à industria), o equilibrio do preço do gás na bolsa, e especulação de mercado.

Abaixo vem um resumo do relatório oficial. Tentamos mostrar porque apontar o gás natural como fonte principal de energia eletrica e para combustivel não é uma opção sustentável, que a extração do gás não são só as torres que se vêem ao alto, os reservatorios perto de nós. São milhões de hectares destruidos, biliões de toneladas de matéria prima para construir as instalações, transporte e utilização.  Que a principal causa para opção de uma economia a gás é economica, desigual para manter o mundo dependente das corporações de petroleo. Não é a população que precisa de energias fosseis para sobreviver mas sim as corporações e a economia mundial nas mãos da Organização Mundial de Comercio.

A destruição de habitates que retiram a possibilidade de sustentabilidade aos mais necessitados entre as várias espécies. Tecnologias que premitem injetar dinheiro nas corporações, mas que nunca chega para os trabalhadores, como o exemplo da Autouropa. O gás armazenado põe em perigo os lençois de água, liberta gases toxicos para o ar, baixa os valores imobiliários em redor, mantem o mundo dependente de corporações que não respeitam os direitos humanos, a natureza, e os animais.

A politica da Troika não só nos faz escravos da sua economia, como nos obriga a destruir o pouco que Portugal tem de natural (terras aráveis, mar, rios e cultura). O gás natural é uma prisão e um sistema destrutivo ambientalmente e socialmente.

O fracking não tem nada de sustentável e só vai pioar as condições de vida na terra.

REDE NACIONAL DE TRANSPORTE DE GÁS

Começamos pelo acordo Portugal/Espanha/Marrocos com a Argélia para a construção do gasoduto de Magrebe, desde a zona de produção Hassi-R’mel até Campo Maior.

Continuamos com o acordo com a Central de Ciclo Combinado (tapada do Outeiro) para garantir consumo significativo dado o tipo de contrato de aprovisionamento (take or pay)

Dada a previsivel lentidão do aumento do consumo doméstico, nas zonas das concessionárias, a Transgás acelerou as ligações aos grandes clientes industriais. 

  • O gás natural foi introduzido em 1997, primeiro cliente industrial Autoeuropa.
  • Em 2000 foi o primeiro aprovisionamento por navio metaneiro da Nigéria, no terminal de Huelva.
  • Várias são as fases de tratamento fo gás natural desde a extração até à utilização, no terminal de recepção da extração a regaseificação é efetuada por vaporizadores com água do mar. Pode-se tambem transportar de cámião, fazendo a regaseificação no local ao ar atmosférico, ou com aquecimento a água quente.
  • Para devolver o GN ao gasoduto além de se reduzir a pressão há que retirar a água com unidades de desidratação, esta é a solução disponivel em Portugal na Armazenagem do Carriço.
  • Outros planos são a incorporação do GN para produzir combustiveis líquidos, utilização de veiculos de transporte, redes de captura de CO2 para armazenagem, utilização de bio gás.

Todo este projeto é apoiado pela http://www.co2europipe.eu/, projeto financiado pela Comissão Europeia, que pretende estabelecer a tecnologia para a captura, transporte e armazenagem em larga escala de CO2.

ARMAZENAMENTO SUBTERRANEO DE GÁS NATURAL

A tecnologia de armazenagem em cavidades salinas, foi criada nos EUA à quase meio século. A seleção de Carriço, em Pombal foi decidida com base da analise dos ambientes geológicos conhecidos em Portugal. A sua proximidade com o mar, para captação de água e rejeição da salmoura produzida na lixiviação foi importante. Para evitar lixiviações não controladas, é injetado azoto.  As 4 cavidades já construidas apresentam alturas entre 170 a 300 m, diametros de 60 -70 m e volumes médios à volta de 500.000 m3.

A lixiviação carece de volumes apreciaveis de água, que neste caso vêm da praia do Osso da Baleia, cerca de 7km das instalações. Foram instalados sistemas de piezómetros com o objetivo de monitorizar o nivel freático e gerir a captação de forma sustentada.  A rejeição da salmoura, é realizada no Rego do Estremal a 9 km das instalações. Parte da salmoura é aproveitada por uma unidade fabril (Renoeste) como matéria prima para a produção de cloro.

A Estação de Gás de Carriço

Existem dois modos de explorar as cavidades, ou injeção ou a extração de gás. No primeiro a estação recebe o GN do gasoduto. Na extração o gás é encaminhado das cavidades para a estação de gás, onde uma unidade de aquecimento equipada com caldeiras permite compensar o arrefecimento do gás devido à sua expanção, evitando assim a formação de hidratos. A humidade contida no gás, é eliminada numa estação de desidratação composta por duas torres de absorção onde o gás circula em contra corrente com trietileno-glicol. 

ARMAZENAMENTO SUBTERRANEO DE GÁS NATURAL

O armazenamento de gas natural é considerado uma ferramenta essencial nas politicas energéticas. Portugal tem uma capacidade de armazenagem para 22 dias de consumo interno. O processo escolhido para Portugal chama-se Cavern Leaching. Os concelhos identificados para armazenamento subterraneo são Peniche, Caldas da Rainha e Nazaré, onde teoricamente se poderá armazenar 1650 Milhões de metros cúbicos de gás, equivalente a 106 dias de consumo.  A zona da Bacia Lusitaniana é a zona de maior interesse, com Carriço, Pombal a ser a mina de ouro do armazenamento. A principal função da armazenagem de gás natural é a necessidade de manter um equilibrio entre a procura e a oferta de gás.

  1. Cumprir os contratos efetuados, salvaguardando qualquer imprevisto que possa levar à aplicações de multas por incumprimento contratual

  2. Ferramenta de especulação de mercado, antevê-se uma subida do gás, compra-se a preços baixos e espera-se que o preço suba até ao desejado

  3. Para reduzir a volatilidade do preço

  4. Segurança de abastecimento energético

Documento oficial sobre Armazenamento de Gás Natural em poços subterraneos: Armazenamento_Subterraneo_de_Gas_Natural_

GasodutosRede_nacional_de_transporte_de_gas natural_

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s