Lavagante; Gamba; Santola

Os contratos de concessão foram assinados, em 2007/02/01, com o consórcio Hardman / Galp / Partex.

Em 2010/03/25, por Agendas aos contratos, estas concessões passaram a ser detidas pelo consórcio Petrobras / Galp.

Em 2014/02/01, por Agendas aos contratos, estas concessões passaram a ser detidas pela empresa Galp.

Desde 2014/12/18, por Agendas aos contratos, estas concessões são detidas pelo consórcio ENI / Galp.

Em 2013 a Petrobras anunciou o encerramento dos 7 blocos que detinha no offshore Português, sendo 3 na Bacia do Alentejo ( e os restantes na bacia de Peniche.  Esta decisão enquadra-se na decisão da petrolífera em encerrar 38 operações por todo o Mundo até 2015, para se concentrar no pré sal brasileiro.  A sua parceira nas concessões em Portugal foi a Galp, que realizou o primeiro furo no Pré Sal português no Alcobaça#1 na concessão Aljubarrora#3 numa joint venture com a Mohave Oil and Gas (Porto Energy) que entretanto também abandonou Portugal.

Em 2017 a Eni e a Galp obtiveram licença para perfurar ao largo de Aljezur a cerca de 50 km da costa a uma profundidade de 3.000 metros. O licença foi revogada, seguindo o exemplo do encerramento das concessões na bacia do Algarve.

A Petrolifera Kosmos Energy (parceira da Repsol e da Galp na Bacia de Peniche) esteve em negociação directa com o Estado Português para doas concessões mais a Oeste das 3 já assinadas ( Lavagante, Gamba, Santola).

 

 

Existe uma luta de classes, claro. É a minha classe, a dos ricos que a começou, e estamos a ganhar! Warren Buffet

%d bloggers like this: