Testes de toxicidade de vapor de gasolina em animais ( não humanos)!????

Petróleo, segurança do consumidor e testes em animais (não humanos)!

O petróleo além de vir servir a civilização como fonte de energia, veio também produzir novas matérias primas sintéticas ( produtos químicos, matérias primas, sintéticos,medicamentos, etc), todos os seus produtos necessitam de ser testados em laboratórios devido á sua toxicidade para os seres vivos.

O petróleo veio “aumentar o poder” do homem sobre o mundo em redor, isso inclui poder do homem  sobre o homem. A violação dos direitos humanos devido aos campos de extracção, infraestruturas de apoio ao comércio ( armazenamento, transporte, venda, etc) acompanham as corporações petrolíferas desde o início. A destruição dos meios naturais faz parte da maioria de campanhas contra a extracção de energias fósseis, sempre em nome do bem estar humano e dos recursos naturais que nos rodeiam e dos direitos dos animais e ao seu “bem estar” no meio natural. Neste texto vamos falar do que pouca gente sabe, a gasolina/petróleo têm de ser testada em laboratório ( como todos os produtos produzidos ou inventados). Em nome da “segurança do consumidor”, as corporações de petróleo têm de passar os seus produtos em testes de laboratório. Devido a essa necessidade criou-se outro negócio, a produção ou criação de animais para testes. Ratos, coelhos, macacos, porquinhos da índia) são manipulados, enjaulados, amputados, intoxicados e mortos para provar a segurança da gasolina para o ser humano. Neste texto apresentamos uns excertos de como as coisas se processam. Vivissecção, todos deviam pensar; Porquê?

Na verdade as corporações tratam os animais de laboratório, como tratam os seres humanos que lhes habitam os locais onde estão as suas operações petrolíferas e os que lhes fazem frente. Quantas mulheres e quantos homens não foram cobaias das corporações? Quantos não ficaram mutilados devido à industria do petróleo? Quantos não morreram devido às actividades petrolíferas?  Quantos não estão presos? Quantos não sofrem, sem ninguém saber?

A descrição dos testes é sobre capacidade de reprodução, saúde dos fetos; saúde dos pais ( contagem de esperma) e mães ( condições dos ovários), efeitos na pele, olhos e tecidos moles do corpo humano.

Temos nós como seres humanos, de nos preocupar com o efeito do negócio das energias fósseis, ao nível biológico e de transformação do ADN?

Quando nos perguntam: És um homem? Ou um rato? Devíamos todos responder: Sou os dois!!!

Excertos do documento: Desenvolvimento da avaliação toxica  do vapor de unlead gasoline em Ratos. (retirado de: “Developmental toxicity evaluation of unleaded gasoline vapor in the rat”)

“Para avaliar o potencial tóxico do vapor da gasolina, foi realizado um estudo em ratos, o estudo revelou não haver toxicidade.No entanto, houve uma ligeira redução do peso corporal. Grupos de ratas grávidas foram expostos ao vapor de gasolina em concentrações de o, 1000, 3000 ou 9000 ppm. Todos os ratos foram sacrificados no dia 20 da gestação.

Introdução

A gasolina é o produto primário da refinação do petróleo e é talvez a fonte de energia mais utilizada no mundo. Em adição às aplicações industriais, a gasolina para motores tornou o carro indispensáveis para a vida moderna e comércio.  A gasolina está sujeita a aprovação pelo Clean air Act.

Estudos demonstraram toxicidade mínima por injecção oral em ratos, ou por exposição da pele nos olhos de coelhos. A gasolina causa irritação mínima na pele nos coelhos, mas não é um sensibilizador da pele nos guinea pigs. Um efeito depois de repetida  aexposição de ratos e macacos á inalação a vapores de gasolina em concentrações de 400 ou 1500 ppm, 6h/dia, 5 dias por semana por noventa dias foi mudanças no fígado dos ratos. Mais tarde atribuiu-se ao light hydrocarbon nephropathy, uma espécie de síndromas observados em ratos machos, que não é relevante para os humanos.  Quando os ratos eram expostos a vapor de gasolina por inalação ao longo de 2 anos em concentrações de 67, 297, ou 2056 ppm, os ratos machos exibiram ocorrências de light hydrocarbon nephoropathy e cancro nos rins e as ratas tiveram cancro do fígado. No entanto os órgãos reprodutores pareciam normais sobre observação microscópica. Exposição a inalação a whole unlead gasoline a 400 e 1600 ppm do dia 6 ao 15º dia de gestação não causou teratogenic effects em ratos, nem efeitos na fertilidade observados num estudo letal dominante no qual ratos machos foram tratados por 8 semanas. Uma série de inalações num cenário de reprodução/ desenvolvimento em ratos foi realizado com vapor distillates de 3 gasoline- blending streams.

Materiais

A unlead gasolione ( American Petroleum institute 94-02) utilizado para preparar o material teste foi misturado  pela Philips 66 Specialty Chemicals, Borger, Tx, para corresponder ás especificações requeridas pelo Clean Air Act, secção 211(b) para combustível e registo de aditivos.

Animais

Nulliparous, ratas não grávidas Sprague Dawley, com 71 dias, foram compradas à Charles River Laboratories, e foram climatizadas 14 dias antes de acasalar com 85 dias de idade.

 Husbandry (Agricultura, lide de animais)

Excepto durante o acasalamento, os ratos eram fechados individualmente em gaiolas de metal  suspensas. A alimentação seguia o Certified Rodent Diet No. 5002 meal,e a água era fornecida por um sistema automático. Sacrificararam-se ratos para avaliar perdas de litros de uterin contentes, peso do corpo, e aparência external fetal. Vapor condensado de unlead gasoline (API 94-02) foi administrado em vapor, a todo o corpo,a 72 femeas do dia 6 a 19 de gestação a uma exposição de 1000, 3000 e 9000 ppm.

Mated rats foram sacrificados no dia 20 de gestação. O útero grávido com ovários foi removido. Os fetos foram removidos do útero e avaliados. Metade dos fetos viáveis em cada litro foi processado para avaliação do tecido leve, a outra metade foi processada para avaliação do esqueleto.

Patologia (Examinarão maternal postmortem)

Animais adultos foram sacrificados por anestesia com dióxido de carbono seguido de exsanguinations no dia 20 de gestação. Os ovários foram dissecados longitudinalmente . Onde os implantes uterino não eram aparentes, o útero era  pintado com ammonium sulfide para visualizar alguma foco uterino. Se nenhuma fosse encontrada, a fêmea era considerada não grávida. Todas as carcaças de fêmeas adultas foram descartadas. Fetos decapitados foram dissecados ao micróscópio. Fetos destinados a avaliação do esqueleto foram mortos com uma overdose de dióxido de carbono.

Deixa estra estás a salvo!!!?

Advertisements

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s